• Marcello Veríssimo

    Uma casa sob os 7 mares. A 49ª Semana Internacional de Vela aporta em Ilhabela trazendo velejadores, equipes, familiares e os fundamentos de um esporte que, mais do que uma modalidade, também é um estilo de vida. Em 2022, o evento também marca a presença dos jovens talentos no esporte e também das mulheres, junto aos lendários campeões Robert Scheidt, Torben Grael, entre outros.

    Cerca de 100 velejadoras estão na raia entre os 115 barcos e os 1.000 velejadores homens na disputa pelas regatas do maior evento da América do Sul de Vela de Oceano. Para o campeão Torben Grael, que é um dos velejadores mais importantes do mundo, a SVI é uma oportunidade de rever os amigos. “Estamos com os filhos competindo, curtindo, reuni os amigos para velejar, é um prazer ver a ilha cheia, principalmente após a pandemia”, disse Torben, que falou rapidamente com o JDL na portaria do Yatch Club, na tarde desta segunda-feira (25).

    Este ano, Grael disputa entre os veleiros Clássicos com o Lady Lou, que venceu o primeiro dia de regatas no último domingo. A SVI reconta a história da dupla entre Torben e Marcelo Ferreira, que foi bicampeã Olímpica em Athenas, na Grécia, em 2004 e em Atlanta, nos Estados Unidos em 96.

    Marcelo Ferreira estava afastado das competições das regatas há mais de uma década, vivendo no interior do Rio, e agora retorna aos mares ao lado do seu parceiro e fiel escudeiro. Sua última passagem por Ilhabela foi em 2005 a bordo do badalado veleiro Brasil 1, que correu a regata Volta ao Mundo The Ocean Race. “Ele resgatou uma galera das antigas, da nossa época de garoto ainda quando todo mundo velejava de laser, foi um convite que eu aceitei com o maior prazer e uma satisfação também encontrar a família toda da vela brasileira”, disse Ferreira.

    Assim como o irmão Torben, Lars Grael é outra lenda do iatismo brasileiro, sempre presente na Semana de Vela. Lars dá nome a Escola de Vela Municipal do arquipélago e é uma das principais referências do esporte no país. “Que eu me lembre, participei a primeira vez aqui [na SIV] em 1986, depois praticamente todo ano eu estou por aqui, é um evento que não dá pra perder. Estar na Semana de Vela é uma questão de paixão, um prazer enorme”.

    A disputa do evento segue até o próximo dia 30 com realização do Yacht Club de Ilhabela em parceria com a Prefeitura de Ilhabela.

    Crianças – O clima família, no intervalo entre as regatas oficiais, elevou o nível com a participação das crianças durante a 3ª edição da Regata “Vela do Amanhã”, realizada nesta segunda-feira (25) dentro do calendário da 49ª Semana Internacional de Vela. A regata teve participação de cerca de 120 crianças, divididas em 26 barcos

    Foram onze Escolas de Vela de oito cidades dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Robert Scheidt, bicampeão olímpico e timoneiro do Caballo Loco, da classe C-30, disse que ficou muito feliz em ter participado pela primeira vez da regata. “Quero parabenizar a organização do evento e os comandantes dos barcos que apoiaram a 3ª edição dessa regata. Tenho certeza que esse dia vai ficar guardado para sempre na memória dessas crianças”, disse Scheidt.

    Um dos representantes do Rio de Janeiro na 3ª Regata Vela do Amanhã foi o Projeto “Escola Social Náutica”, de Ilha Grande, de Angra dos Reis. O projeto social tem como coordenador Luciano Guerra e conta com 63 crianças de 5 até 17 anos.

    Luciano disse que foi uma oportunidade para os alunos terem uma visão diferente do mundo que elas vivenciam em Ilha Grande. “O nosso projeto surgiu da ideia de levar minha vida profissional, que me traz dignidade e benefício, para dar oportunidade às crianças que só convivem com o meio turístico”, ele disse.

    A aluna Letícia Ferreira, 12 anos, conta que foi para o projeto junto com sua irmã e que o esporte despertou seu interesse desde o início. “Tenho certeza que estou evoluindo um pouquinho a cada dia nesse um ano e meio que estou lá. É um orgulho estar aqui e poder aprender um pouquinho mais sobre a vela”.

    O diretor de vela do Yacht Club de Ilhabela e idealizador da Regata do Amanhã, Mauro Dottori, comemorou o crescimento da iniciativa e definiu o sucesso desta edição em uma frase: ” “Não tem preço”. “É a regata que mais me emociona. A alegria das crianças é o que mais vale pra gente. A gente fazer com elas, algumas com menos possibilidade, menos poder aquisitivo, velejar em barcos como esses, podermos proporcionar o futuro da Vela no Brasil é o que nos move”, destacou.

    A 49ª Semana Internacional de Vela de Ilhabela segue nesta terça-feira com regatas de todas as classes (exceto HPE-25) a partir das 12h. O evento segue até o próximo dia 30, é uma realização do Yacht Club de Ilhabela e da Prefeitura Municipal de Ilhabela com organização da produção da Full Time Eventos e Turismo. A competição tem o patrocínio da Mitsubishi Motors e da Phytoervas.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.