• Marcello Veríssimo

    A Diocese de Caraguatatuba celebra durante esta semana uma das figuras mais importantes da Igreja Católica. O Dia do Diácono católico foi lembrado nesta quarta-feira (10). No início da semana, nesta segunda (8), foi realizada uma missa solene de Ação de Graças a São Lourenço, diácono e mártir cristão, na Catedral Divino Espírito Santo, no Indaiá.

    Durante a celebração religiosa, para marcar a data, foram empossados os novos integrantes da diretoria dos Diáconos do Litoral Norte, que é formada pelo presidente, Paulo Alexandre, vice-presidente, Isaías Amorim, secretário, Wagner Andriotti, 2° secretário, Edemir Rodrigues (Puck), tesoureiro, Edson Alamino, 2° tesoureiro, Daniel Pereira, e os conselheiros fiscais, Ditinho, Pereira e Sílvio.

    A Diocese de Caraguatatuba informou que conta com 17 diáconos permanentes. Mas no próximo dia 21 de agosto este grupo vai aumentar com a ordenação de Manoel José dos Santos, que acontecerá na Paróquia Nossa Senhora da Glória, no Travessão, durante a missa em honra da padroeira.

    Nesta segunda-feira (8), a missa pelo Dia do Diácono foi presidida pelo Bispo Dom José Carlos Chacorowski, da Diocese de Caraguá, e concelebrada pelos seguintes padres presentes: Vladimir Ferreira, presbítero assessor dos Diáconos, Alessandro Coelho, pároco de São Sebastião, e o padre Moisés do Nascimento, que foi acolhido como novo Vigário da Catedral, além do padre Carlos Lemos, e o Diretor da Escola Diaconal São José de Anchieta, Altair dos Santos.

    Nesta terça-feira (9) 12 diáconos celebraram três anos de ordenação. São eles: Antônio Roberto Filho, Ary Pirani, Carlos José da Silva, Daniel Pereira, Edson Alamino, Edemir Rodrigues, Manoel Messias, Paulo Alexandre, Silvio Cruz, Wagner Andriotti, Waldir Duarte e Wilmarinho Lares.

    De acordo com a Igreja Católica, diácono é uma vocação ministerial para o serviço, ou seja, pela doutrina cristã trata-se de um “servo de Deus”, que espalha a sua palavra ajudando a construir o seu reino junto aos fiéis na terra, de acordo com as necessidades da igreja. O termo diácono vem do grego diakonos, que significa atendente ou servente.

    Também há registros que a palavra teve origem da Diaconia, que significa ministério, serviço. A Igreja explica que esse ministério tem três dimensões: o serviço da Palavra de Deus, o serviço da Caridade e o serviço da Liturgia.

    História – O Concílio de Trento, no século 16, pediu a restauração do diaconato, mas isso não aconteceu. No século 20, com o Concílio do Vaticano II, a igreja consegue restaurá-lo. Portanto, segundo a igreja, até certo ponto a vocação diaconal é uma “novidade”, e muitas dioceses, paróquias e comunidades estão crescendo no conhecimento do seu significado e missão. “Na bíblia, existe o papel do diácono para ajudar a servir os mais pobres, por um período da igreja ficou sem as ordenações diaconais, recuperado no Concílio Vaticano II há 60 anos”. “É um chamado que o pároco faz aos homens casados, de reta intenção, que esteja de comum acordo com a esposa, que tem que concordar com a decisão, com a resposta que o esposa dará a este chamado”, explica o padre Alessandro Coelho, pároco de São Sebastião, sobre a importância do Diácono para a igreja.

    O diácono tem uma série de funções importantes na doutrina cristã, sendo ele que proclama o evangelho durante as missas, ajuda a servir o altar, celebram batismos, casamentos, visita aos doentes, e também ficam responsáveis pela caridade na paróquia. “Cada paróquia pode contar com eles em alguma pastoral e a própria animação das comunidades. Para nossa paróquia é uma alegria muito grande, temos três diáconos, e tem sido uma experiência muito significativa da Diocese contar com esses homens e suas famílias servindo a igreja, fazendo parte do sacramento da ordem em seu primeiro grau”.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.