• Marcello Veríssimo

    Valeu a pena esperar, aos poucos, os caiçaras de São Sebastião vão conquistando o mundo do surfe. Depois de 11 anos na elite do esporte, o surfista de Maresias Miguel Pupo conquistou a sua primeira vitória no WSL, o Circuito Mundial de surfe, nesta sexta-feira (19).

    E ele dropou uma das ondas mais temidas do planeta: a lendária Teahupoo, na Ilha do Taiti, Polinésia Francesa. Pupo saiu campeão ao vencer o surfista francês Kauli Vaast na final por 17.17 a 15.00.

    Com essa vitória Miguel Pupo se torna o terceiro surfista brasileiro a faturar a etapa do Taiti. Os outros foram: Bruno Santos, vencedor em 2008; e Gabriel Medina, campeão nos anos de 2014 e 2018. É a tríplice coroa do surfe brasileiro, com dois sebastianenses. “Foi muito emocionante. Esperei mais de 10 anos por isso e sempre acreditei no meu talento. Quero dedicar esse título à minha esposa, aos meus pais e aos meus filhos. A conquista aqui é fruto de muito trabalho, estou com o corpo cansado por ter lutado muito nesse Final Day, mas valeu a recompensa”, disse o surfista de São Sebastião.

    Mesmo com o título em Teahupoo, Miguel Pupo encerra a temporada fora do top-5, o grupo de atletas classificados para o WSL Finals, em setembro, na Califórnia, Estados Unidos.

    Líder do ranking, Filipe Toledo encabeça a turma ao lado de Jack Robinson (2º), Ethan Ewing (3º), Italo Ferreira (4º) e Kanoa Igarashi (5º). O evento acontece no formato de mata-mata com o camiseta amarela tendo a vantagem de disputar apenas um confronto melhor de três contra quem passar das demais disputas.

    No feminino, Tatiana Weston-Webb será a única representante do Brasil. As outras surfistas que brigam pelo título mundial de 2022 são: Carissa Moore, Johanne Defay, Brisa Hennessy e Stephanie Gilmore.

    Como foi

    Sem deixar se intimidar em sua primeira final de Circuito Mundial, Pupo saiu na frente com uma bela onda nota 7,00. Kauli, seu adversário direto, por sua vez, respondeu com um modesto 1,93. Pouco depois, o francês surfou para 4.83, aumentando o seu somatório para 6.76. O brasileiro não deixou barato, achando uma boa onda minutos depois. Como a nota foi um 5.83, Miguel voltou a ficar confortável na liderança.

    Faltando 15 minutos para fim, os dois surfistas protagonizaram o momento mais emocionante da decisão. O francês achou a sua melhor onda, um 7.33. A resposta do surfista cria de Maresias veio com um contra-ataque na mesma série. Num tubo espetacular, o brasileiro levou nota 9.00 dos juízes, ficando mais perto da taça.

    Aí foi só administrar o resultado até o término da bateria. Dono da prioridade, Pupo gastou o tempo restante até confirmar sua vitória por 17.17 a 15.00.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.