• Marcello Veríssimo

    Uma comissão de moradores dos bairros nos arredores do Porto de São Sebastião se reuniu no último sábado (20) para decidir sua estratégia e pedir pela permanência do engenheiro naval Paulo Oda, presidente da Cia Docas, responsável pelo porto do município, no cargo. Eles chamaram a reportagem do JDL para divulgar seu posicionamento contrário à troca do gestor, que deve acontecer no final desta semana, até a próxima sexta-feira. “O senhor Paulo Oda foi o único presidente que nos ouviu, que deu apoio para a gente, os outros sempre nos colocaram como condicionante e não como moradores que somos. A nossa luta com o Porto sempre foi pelos impactos ambientais, o senhor Paulo fez diferente: nos chamou, nos ouviu e propos de trabalharmos juntos, ver o que dá para nós melhorarmos a qualidade de vida de você”, diz Izaneide Sales, conhecida por Izaneide do Araçá, uma das moradoras atuante pela defesa de região.

    Os moradores, que integram essa comissão, dizem que lutam há anos para manter a preservação do Mangue do Araçá, um imenso bioma, que está localizado na parte central
    do Canal de São Sebastião. Essa luta da população inclui os moradores que trabalham e sobrevivem da pesca e que, de alguma forma, têm suas vidas impactadas pelos projetos realizados no porto e pelo Governo do Estado. “Agora que ele está fazendo um bom trabalho, que ele trouxe a população para perto, simplesmente chegam e dizem que vão trocar sem aviso nenhum e como vão ficar os serviços, não se mexe em time que está ganhando. Além de fazer serviço dele, também teve outra visão”, avalia Neide do Araçá.

    De acordo com os ambientalistas, o Araçá abriga um dos últimos remanescentes de manguezal do trecho entre Bertioga e Ubatuba e está incluído na Área de Proteção Ambiental Estadual do Litoral Norte do Estado de São Paulo e na Área de Proteção Ambiental Municipal dos Alcatrazes.

    O atual trabalho feito em parceria entre o porto e a comunidade rendeu bons resultados, como a Expedição pelo Córrego Mãe Isabel, na Topolândia e o MAC (Monitoramento Ambiental Comunitário), que entre outros aspectos, analisa a qualidade da água, além do PEA (Programa de Educação Ambiental) do Porto de São Sebastião.

    A notícia da troca de comando na Cia Docas foi dada no final da última sexta (19) e teria partido da Secretaria Estadual dos Transportes de São Paulo. Para os moradores, efetuar a troca do gestor em um momento tão delicado implicaria em uma série de empecilhos, caso o novo profissional no cargo, não siga o mesmo modelo de trabalho de Oda. De acordo com eles, a mudança só seria válida se o novo gestor já estivesse vindo a São Sebastião, conhecer o trabalho realizado para só depois assumir o cargo. “É como pegar todo o nosso serviço e jogar na lata do lixo. Nunca ninguém parou para olhar os pescadores, um serviço que seria da Colônia [de pescadores] o Porto propôs a arrumar estrutura para fazer. Nós recebemos apoio de quem nunca tinha nem nos olhado”.

    Protocolo

    A comissão de moradores informou que deve protocolar até a próxima quinta-feira (25) um abaixo-assinado no gabinete do prefeito Felipe Augusto para pedir apoio pela permanência de Paulo Oda. “O Porto estava com diversos problemas, ao bloqueio do Ibama, foi o único presidente que nos deu acesso e gostaríamos que o presidente continuasse, foi o único que teve diálogo. Ele não vê só o lado burocrático, o empreendimento, nós gostaríamos que ele continuasse”, disse o pescador Humberto Messias.

    A jornalista Lusia Prado, conhecida por Santinha, que integra a comissão, disse que esse movimento da sociedade civil é importante para impedir que a gestão da Cia Docas aconteça. “O Araçá não é somente a enseada do Araçá, ali onde chamamos de mangue, compreende também aos bairros do entorno do Porto e os prejuízos ao meio ambiente impactam a vida de centenas de pessoas”. De acordo com Santinha, a movimentação dos “Amigos do Araçá” é extensa e reúne também moradores de outros bairros como Boiçucanga, na costa sul do município.

    Reconhecimento

    Paulo Oda falou à reportagem do JDL e disse que se sente grato pelo reconhecimento da população ao seu trabalho frente ao Porto de São Sebastião nos últimos três anos. “Sem dúvida nenhuma me dá a certeza de que fiz um bom trabalho. Foi uma parceria que viu todos os lados da operação em si, o efeito de um trabalho que integrou o porto a cidade”.

    Outro lado

    A assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Logística e Transportes de São Paulo informou nesta segunda-feira (22) que desconhece a informação sobre a troca de comando da Cia. Docas de São Sebastião. “A informação oficial é que desconhecemos a notícia sobre a mudança de gestor no Porto de São Sebastião. Não vamos comentar”.

    Mas a reportagem do JDL apurou com fontes do próprio Porto de São Sebastião, que diferentemente do que diz a secretaria, nos bastidores é dada como certa a troca de gestor que deve, inclusive, ser efetuada até a próxima quinta-feira (25).

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.