• Marcello Veríssimo

     

    O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB) criticou nesta quarta-feira (31) a exclusão da duplicação do trecho paulista da rodovia Rio-Santos na nova concessão da Rio-Dutra, assinada há 10 meses pelo governo federal.

    Para Garcia, que é candidato à reeleição, a decisão do Ministério da Infraestrutura foi manipulada e prejudica a logística rodoviária de São Paulo. O governador de São Paulo disse que a concessão da Rodovia Dutra teve o aval do governo federal. “O leilão foi no final do ano passado. Neste leilão, o governo federal incluiu a Rio-Santos na concessão para ser duplicada, todo mundo ficou feliz. Qual foi a nossa surpresa quando a gente observou que incluiu a Rio-Santos no trecho do Rio de Janeiro e não integrou o trecho de São Paulo”.

    Para Rodrigo Garcia trata-se de uma escolha deliberada do Ministério da Infraestrutura de duplicação da Rodovia Rio-Santos no Rio de Janeiro. “A duplicação para em Paraty. Quero até fazer um vídeo com uma perna no Rio e outra em São Paulo dizendo: ‘a duplicação vai parar aqui, chegou em Ubatuba, não existe mais'”, criticou o governador.

    O Ministério da Infraestrutura não comentou as declarações do governador Rodrigo Garcia. O ministério era comandado por Tarcísio de Freitas (Republicanos) durante o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL). Tarcísio também é candidato ao governo de São Paulo este ano e é um dos principais adversários do atual governador de São Paulo

    Rodovias – A duplicação da Rodovia dos Tamoios é um desejo de toda a população do Litoral Norte, assim como a conclusão das obras na Rodovia dos Tamoios, que sofre com o trânsito excessivo de veículos, principalmente em feriados prolongados e durante a temporada de verão. A reportagem do JDL acompanha os candidatos da região e praticamente todos, em seu discurso de campanha, dizem que tem planos para concretizá-la.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.