• Marcello Veríssimo

    O descaso com um suposto crime ambiental despertou revolta em moradores do bairro Golfinho, em Caraguatatuba. A reportagem do JDL recebeu fotos e vídeos que mostram um caminhão despejando o material, que seria proveniente de resíduos sólidos, ou seja, esgoto.

    O construtor Adalto Barros, que mora na região, flagrou o momento que o caminhão estaria despejando o esgoto em um afluente do Rio Juqueriquerê, na tarde desta quarta-feira (31). No vídeo é possível ver que o morador questiona os responsáveis pelo caminhão sobre a procedência da operação, mas não obtém uma resposta satisfatória. “Não sei se o caminhão é da prefeitura ou de uma terceirizada”, diz ele, que no momento do flagrante estava na companhia do amigo Milton Freire, que reforça sua denúncia. “Mas eles jogam o esgoto neste córrego e acaba indo diretamente para o rio, sem tratamento nenhum”, completou, preocupado com a situação, pois ainda segundo ele, crianças nadam no rio.

    Os moradores contaram à reportagem que não têm motivos para mentir. “Estávamos passando pelo local e vimos o caminhão jogando. Não só o caminhão como também as casas estão jogando no rio”.

    A reportagem do JDL esteve no local na manhã desta quinta-feira (1º), na cabeceira do rio Juqueriquerê, que fica no alto do bairro Golfinho, na região do Pontal Santa Marina, próximo do Hospital Regional do Litoral Norte e do Shopping Serramar. De acordo com os moradores, o rio faz divisa com a Fazenda Serramar e está em uma região de especulação imobiliária cercado pela construção de casas, na região conhecida como “Fundão do Golfinho”.

    Trata-se de uma imensa área verde, ao lado da nascente do rio Juqueriquerê, que sofre com desmatamentos, invasões e loteamentos. O JDL percorreu o local, conversou com moradores e constatou os possíveis impactos causados pela ação humana ao meio ambiente. No local, segundo os moradores, não existe rede de esgoto e em diversos pontos é possível ver uma água preta que corre a céu aberto, por meio de valetas, e vai desembocar no rio.

    O Rio Juqueriquerê é considerado um dos principais redutos de água doce do Litoral Norte e o maior rio navegável da região. Com 13 km de extensão, suas águas desembocam na praia das Flexeiras. “Mas se continuar assim vai virar o Rio Tietê”, dizem os moradores, que com medo de represálias preferem o anonimato.

    O que dizem os citados

    Após receber a denúncia, o JDL questionou a Prefeitura de Caraguatatuba. De acordo com a Secretaria de Serviços Públicos, a denúncia não procede. A equipe precisou ir até o local para realizar a manobra do caminhão, já que a rua é estreita. “Os funcionários desceram do veículo para orientar o condutor na manobra. Caso estivesse descarregando qualquer tipo de resíduo, a mangueira do caminhão deveria estar no chão, algo que, como mostra o vídeo, não procede”, disse em nota.

    A Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) informou que uma equipe técnica analisou os vídeos enviados pela reportagem e confirmou que as imagens mostram despejo do esgoto, mas não identificam os autores. “Precisamos identificar o autor, para poder agir corretivamente. No caso é proveniente de despejo de caminhões, a denúncia precisa estar acontecendo no momento da inspeção, em função da constatação”, disse a assessoria de imprensa.

    A Cetesb ainda orienta a população que ao flagrar ações deste tipo é necessário acionar a Polícia Militar e a própria Cetesb, no momento do despejo.

    A reportagem do JDL também procurou o Gaema (Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente), do Ministério Público de São Paulo, em Caraguatatuba, mas o órgão não atendeu aos telefonemas.

    Veja o vídeo do momento em que os moradores encontraram o caminhão no local:

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.