• A rede estadual de ensino de São Paulo subiu para o 3º lugar no ranking nacional do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) de 2021 para o ensino médio, dois postos acima da colocação obtida em 2019. Os dados divulgados pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) nesta sexta-feira (16) mostram que a educação paulista atingiu a marca de 4,4 pontos no ano passado.

    O ensino médio da rede pública paulista ficou acima do índice de 2019, quando obteve o maior crescimento da história das escolas estaduais neste ciclo de ensino. O resultado anterior era de 4,3 pontos.

    De acordo com o ranking nacional do Ideb, em primeiro lugar está o ensino médio estadual do Paraná, com 4,6 pontos. Em seguida vem a rede pública de Goiás, com 4,5 pontos.

    Como é calculado

    O Ideb é o principal indicador da qualidade dos sistemas educacionais brasileiro. Ele é calculado com base nas médias da Prova Brasil e fluxos de aprovação, reprovação e abandono extraídos do Censo Escolar.

    Impacto da pandemia

    Desde o início da pandemia da Covid-19, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo não mediu esforços para garantir educação de qualidade a todos os estudantes. A oferta das aulas mediadas por tecnologia foi fundamental para a manutenção das atividades durante o fechamento das escolas devido a protocolos sanitários.

    meio do Centro de Mídias (CMSP), desenvolvido em abril de 2020, os estudantes da rede estadual tiveram acesso às aulas inéditas em tempo real, interatividade e tira-dúvidas com professores das suas turmas, em manutenção ao ensino remoto. O Estado também investiu em avaliações diagnósticas, processuais e formativas, fundamentais para apoiar a recuperação da aprendizagem abalada pelo afastamento dos estudantes.

    Ao longo de 2021, o Estado também desenvolveu programas de apoio à recuperação da aprendizagem com iniciativas inovadoras como o Bolsa do Povo Ação Estudantes; o Programa de Recuperação Intensiva durante as férias escolares; o Programa de Recuperação e Aprofundamento, com materiais didáticos adicionais e formação para os professores; o Projeto de Reforço e Recuperação (PRR), com um professor para atendimento personalizado; e o Programa Além da Escola, com aulas acompanhadas por professores via Centro de Mídias de SP e entrega de chips com dados patrocinados.

    Outra iniciativa importante e com forte impacto nos resultados educacionais foi a prática pedagógica da Busca Ativa, já realizada pelas escolas com apoio das Diretoria de Ensino e da Secretaria da Educação.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.