• A Prefeitura de São Sebastião, por meio da Secretaria do Meio Ambiente (SEMAM), Departamento de Pesca, Agricultura e Abastecimento e Secretaria de Turismo (SETUR) apoia o projeto ‘Nossa Pesca: conhecer a origem para valorizar o pescado artesanal’.

    O projeto é desenvolvido pelo Instituto de Estudos e Empreendedorismo Socioambiental (IESA), em parceria com a Paiche Consultoria e Treinamento e conta também, com o apoio do Instituto de Pesca e APA Marinha Litoral Norte.

    O objetivo é gerar incentivos e valorização de mercado para pescadores e pescadoras artesanais que desenvolvem suas atividades de forma transparente e sustentável, através de ferramentas de rastreabilidade, como a instalação de uma câmera na embarcação para registro da pescaria e a utilização de um aplicativo (App).

    Na primeira fase do projeto piloto estão previstos cinco pescadores artesanais do Litoral Norte. Três deles estão em São Sebastião na Costa Sul e utilizam, principalmente, o cerco flutuante, considerada uma arte de pesca sustentável.

    Os restaurantes participantes poderão comprar o pescado e terão informações de origem – em que região foi pescado, por quem e quando, além de um pequeno vídeo do momento da pesca. Assim, escaneando um QR Code, os clientes podem acessar todas essas informações ao pedir o prato no restaurante.

    O primeiro pescador a aderir e instalar a tecnologia foi Márcio Silvestre da Praia Toque-Toque-Pequeno. Trata-se da primeira embarcação de pesca artesanal a adotar esta tecnologia no Brasil.

    A tecnologia foi desenvolvida pela empresa Shellcatch e é utilizada em diversos países como Chile, México, Estados Unidos, Tailândia, Peru, Equador, Belize, Turquia, Costa Rica, Paquistão e Noruega, em iniciativas públicas, privadas e realizadas por organizações do terceiro setor.

    Já aderiram ao projeto os pescadores do rancho de Maresias, Jhonatan, Nunes e Rafael, e o pescador Valmir (Cabelo), que estão em fase de instalação das câmeras nas embarcações. Os restaurantes participantes são Pimenta de Cheiro, Taioba, Restaurante Toque Toque do Mar e Terral.

    Assim que a coordenadora do projeto, Helena Gonçalves procurou o Departamento de Pesca da Prefeitura de São Sebastião, encontrou total apoio e incentivo ao projeto. “É uma valorização da pesca artesanal. Exatamente o que o turista busca ao vir para o Litoral Norte. Comer peixe da época, fresco e pescado no município”, afirmou Simone Monteiro, diretora do Departamento de Pesca, Agricultura e Abastecimento da Secretaria do Meio Ambiente, Prefeitura de São Sebastião.

    Mais informações, interesse em participar, ou apoiar o projeto, com a coordenadora, Helena Gonçalves, e-mail: helena@institutoiesa.org. Telefone: (19) 98247-5662.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.