• Marcello Veríssimo

    A política é uma espécie de jogo de xadrez. As eleições deste ano, que acontecem no próximo dia 2 de outubro, historicamente são uma espécie de prévia, um ensaio para o que pode vir a se realizar nas eleições municipais daqui a dois anos. Nos bastidores, a movimentação no tabuleiro político para 2024, já começou.

    Muitos dos atuais 157 candidatos que concorrem na região a deputado estadual e federal estão de olho nas eleições municipais e embora ainda não assumam, alguns nomes começam a ser cotados para o pleito municipal, que também deve ser impactado pelas novas correlações de força na política estadual e federal.

    Em São Sebastião, por exemplo, um dos primeiros cenários políticos que se vislumbram seria o vice-prefeito Reinaldinho e o vereador Reis, concorrendo juntos para continuar o legado deixado pelo atual prefeito Felipe Augusto (PSDB). Especulações dão conta de que lançar Reis como membro da chapa majoritária em 2024 teria sido o principal motivo que levou o vereador a não brigar para continuar à frente do Legislativo, que a partir do ano que vem estará sob o comando do vereador Marcos Fuly (DEM).

    Fuly pode ser um nome a surpreender na disputa pelo Executivo sebastianense em 2024, muito vai depender de seu trabalho à frente do legislativo municipal. Ele ja disputou as eleições de 2016 ficando em segundo lugar já que os votos do ex-prefeito Juan Garcia foram anulados.

    No lado oposto está o professor Gleivison Gaspar (MDB), no grupo que ainda conta com o empresário Fábio Merlin, como um dos nomes mais fortes para disputar a Prefeitura Municipal. A reportagem do JDL procurou o ex-vereador mas ele não foi encontrado para comentar o assunto, nesta quarta-feira (21).

    Outros nomes que também são cotados é o do ex-prefeito Juan Garcia, que teria sua situação política liberada para disputar as próximas eleições em 2024, e também de Michelle Veneziani, filha de Antônio Carlos e ex-esposa do atual prefeito Felipe Augusto.

    As pesquisas eleitorais mostram, por enquanto, que o PT é o partido que tem liderado as intenções de voto para os governos do Estado e Federal. Se o Partido dos Trabalhadores conquistar o Governo do Estado e quebrar a hegemonia do PSDB de mais de 20 anos, a política na região também deve sofrer um impacto significativo. “Por enquanto estamos pensando somente nas eleições de outubro, dar um passo depois do outro, ver qual serão os resultados dessa eleição, se o Lula e o Haddad realmente ganham e qual o espaço político que teremos nesse governo”, disse Fernando Puga, candidato a deputado estadual por São Sebastião. “Sempre é o objetivo, mas temos o pé no chão, já caminhamos muito, mas esse não é o momento de cravar nada sobre isso”, completou Puga.

    Caraguatatuba

    Em Caraguatatuba, o cenário mostra que, caso não seja eleito, Antônio Carlos está apto a disputar as eleições municipais em 2024. Ee já governu o município por 16 anos e perdeu as últimas duas eleições ao lançar um ex-secretário e o próprio filho nas disputas contra o atual prefeito Aguilar Júnior. Quando disputou pessoalmente as eleições Antonio Carlos não perdeu ainda para prefeito do município.

    O grupo do atual prefeito Aguilar Júnior deve lançar um novo nome. A reportagem do JDL apurou que, conforme o resultado das urnas no próximo dia 2, esse nome pode ser um dos irmãos Bota, Neto ou Cristian, que atualmente ocupa uma cadeira como vereador na Câmara Municipal. Procurado pelo JDL, por enquanto Cristian Bota, negou que tenha pretensões de sair como candidato a prefeito. Neto Bota disputa uma vaga na Assembleia Legislativa do Estado nestas eleições e pode surpreender em sua votação no município, o que o credenciaria a ser o representante do grupo de Aguilar a enfrentar o grupo de Antonio Carlos em 2024.

    O empresário e atual candidato a deputado federal pelo partido NOVO, Rodrigo Tavano, disse que está concentrado na atual eleição. “Estamos focados em entrar para deputado e confiantes, pois é possível”.

    O município tem ainda o coronel Stanellis que disputa uma vaga para a Câmara Federal em 2022 e ficou em terceiro lugar nas eleições municipais de 2020. Stanellis acabou sendo decisivo na eleição que reelegeu Aguilar Júnior quando dividiu os votos da oposição no município e prejudicou o candidato do grupo de Antonio Carlos,.

    Ilhabela

    Com a decisão do Supremo Tribunal Federal sobre os impactos e alcances da nova lei de improbidade administrativa que entrou em vigor em 2021, o recurso do prefeito Toninho Collucci pode ser acatado pelo plenário da corte e ele continuar prefeito do município, o que o credencia a disputar a reeleição novamente em 2024 pelo grupo da situação.

    Pela oposição duas mulheres saíram candidatas a deputadas em 2022: Irê Juliane e Juliana Tenório (esposa do ex-prefeito Marcio Tenório), e ambas almejam disputar as eleições de 2024 como candidatas de oposição, e suas votações no município no próximo dia 2 de outubro pode manter ou enterrar essa intenção, pois já disputaram o cargo uma vez.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.