• Marcello Veríssimo

    A WSL (World Surf League), ou a Liga Mundial de Surfe, em português, que reúne a elite do surfe mundial, divulgou nesta semana o calendário do circuito mundial de surfe para 2023.

    Durante o ano que vem 10 etapas estarão em jogo no circuito, que também garantem vagas para os jogos olímpicos de 2024 em Paris, na França. O campeonato mundial garantirá 18 das 48 vagas para as olimpíadas. Ítalo Ferreira, do Brasil, é o atual campeão olímpico de surfe.

    De acordo com o calendário da WSL, a primeira etapa do mundial, em Pipeline, no Hawaii, acontece entre os dias 29 de janeiro e 10 de fevereiro de 2023; e, a 10 etapa, de 11 a 20 de agosto em Teahupo’o, no Tahiti.

    A WSL Finals, reunindo os cinco melhores surfistas do ranking, acontecerá em Trestles, na Califórnia, nos Estados Unidos, de 7 a 15 de setembro.

    Uma das novidades no circuito do próximo ano é o retorno da etapa de Surf Ranch, também em solo americano, prevista para acontecer dias 27 e 28 de maio, que substituirá a atual etapa de G-Land, na Indonésia.

    A WSL informou que manteve a etapa brasileira, que será mais uma vez realizada em Saquarema, no Rio, de 23 de junho a 1º de julho.

    Menos surfistas – Depois de cinco etapas, o campeonato masculino estará reduzido de 36 para 24 surfistas e o feminino de 18 para 12. O corte de surfistas vai acontecer após a etapa de Margaret River, na Austrália, programada de 20 a 30 de abril.

    O Litoral Norte segue bem representado com quatro dos melhores surfistas na disputa: o atual campeão mundial, Filipinho Toledo, de Ubatuba; o tricampeão Gabriel Medina, de São Sebastião, que em 2022 devido a problemas de saúde mental e uma contusão no joelho disputou apenas duas etapas; e, os irmãos Miguel Pupo, que ficou em 6º no ranking e Samuel Pupo, eleito como o melhor estreante de 2022, também de São Sebastião.

    Pupo assina contrato – O surfista de Maresias Miguel Pupo, sexto colocado no ranking mundial de surfe de 2022, assinou contrato de patrocínio com a Mormaii, tradicional grife de surfwear brasileira. O contrato foi assinado entre Pupo e o dono da Mormaii Marco Aurélio Raymundo, porém o valor da negociação não foi divulgado para os jornalistas.

    A marca existe desde 1976 e tem sua sede em Garopaba, litoral de Santa Catarina. Miguel Pupo começou a surfar em Maresias, na costa sul de São Sebastião, o seu quintal e chamou a atenção da Mormaii por seu excelente desempenho na última temporada.

    Ele integra o seleto time de estrelas da principal liga do surfe mundial desde 2011. Seu melhor desempenho aconteceu justamente este ano: 3º em Pipeline; 5º lugar em Rip Curl Bells Beach e Saquarema; 9º lugar em Portugal, Margaret River , G-Land e J-Bay; 17º em El Salvador; 33º em Sunset Beach; e sua primeira vitória em uma etapa profissional da WSL: a Tahiti Pro.

    Pupo somou 40.185 pontos ficando na sexta colocação. Por pouco, não chegou a WSL Finals.
    No ano passado, foi o 20º colocado no ranking com 14.045 pontos. Em 2023, o surfista disse que pretende melhorar ainda mais seu rendimento nas etapas do mundial, chegar no WSL Finals e buscar uma vaga para as olimpíadas de Paris em 2024.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.