• O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que recebeu um telefonema do candidato ao Governo de São Paulo Tarcísio de Freitas (Republicanos), na manhã desta segunda-feira (17), após o tiroteio ocorrido durante agenda de campanha de Tarcísio na comunidade de Paraisópolis, na zona sul da capital paulista. Bolsonaro ressaltou que “tudo é preliminar ainda” e preferiu não se posicionar sobre uma possível motivação por trás do incidente.

    “Não quero me antecipar. Se foi uma ação contra a equipe dele, se foi uma ação isolada, se algum conflito já estava havendo ou por haver na região. Então, seria prematuro eu falar sobre isso”, disse.

    O presidente e candidato à reeleição frisou que aguarda as investigações e que Tarcísio deveria reforçar a segurança pessoal durante os eventos de campanha. Bolsonaro também relacionou o incidente com o caso em que um homem foi preso após atirar em uma igreja onde a primeira-dama Michelle Bolsonaro falaria, na última sexta-feira (14).

    “O que eu sei é que, há poucos dias, teve uma ação de dois tiros em uma igreja onde a primeira-dama se faria presente. O elemento foi preso, detido, confessou ser do Comando Vermelho e que os dois tiros foram para intimidar e evitar que muita gente comparecesse a esse evento da primeira-dama com a senhora Damares. Isso está acontecendo, a gente lamenta. Um caso já comprovado que tem a ver com motivação política. O caso Tarcísio ainda não”, completou.

    Tiroteio

    Na manhã desta segunda-feira (17), o candidato do Republicanos ao Governo de SP esteve no Polo Universitário de Paraisópolis. No entanto, a agenda precisou ser interrompida após o início de um tiroteio.

    Tarcísio afirmou nas redes sociais que ele e a equipe conseguiram deixar o local em segurança, com apoio da Polícia Militar de São Paulo.

    Na última sexta-feira (14), um homem foi detido pela Polícia Civil do Ceará após efetuar disparos de arma de fogo contra uma igreja em Fortaleza horas antes de um evento com a participação da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e da senadora eleita pelo Distrito Federal, Damares Alves (Republicanos).

    Segundo as investigações, o homem teria atirado mais de uma vez contra o prédio da Igreja Apostólica Novidade de Vida, mas ninguém ficou ferido. Ele foi levado à 13ª Delegacia de Polícia, em Fortaleza, para prestar depoimento.

     

    Fonte: R7

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.