• A Prefeitura de Ilhabela, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, realizou entre os dias 1º e 3 de novembro, uma roda de conversa com os coletores de resíduos urbanos, educadores ambientais da empresa Peralta e funcionários da Secretaria de Meio Ambiente, na sala de treinamento do Centro de Triagem “Nega Malu”. A interação teve por objetivo nivelar as informações relacionadas à coleta, transporte e destinação final dos resíduos coletados no município.

    Entre os temas abordados, o que é lixão e aterro sanitário; diferença entre lixo e resíduos; para que serve a coleta seletiva e o Centro de Triagem; qual a destinação de cada resíduo e o conceito de Logística Reversa e Economia Circular, no qual foi utilizado como exemplo, o Projeto Ilhabela sem Bitucas.

    A responsável pelo Projeto Ilhabela sem Bitucas, Tatiana Araújo, falou sobre como a iniciativa é desenvolvida e os principais pontos de coleta que estão distribuídos pelo município, além de todo o processo feito para que esse resíduo volte a ser matéria-prima para a confecção de novos materiais, exemplificando assim, o conceito de Economia Circular, bem como os benefícios ambientais e sociais que essa iniciativa agrega à cidade.

    O momento de interação proporcionou uma troca de informações acerca da importância da coleta seletiva no município, de forma que os próprios coletores sejam também disseminadores de bons hábitos, contribuindo para a conservação e a preservação do meio ambiente e diminuindo fatores poluentes oriundos do descarte indevido.

    A secretária de Meio Ambiente, Kátia Freire, ressaltou a importância do descarte correto nos dias e horários de acordo com o cronograma de coleta, e assim evitar o acúmulo de resíduos nas lixeiras, além da propagação de insetos e disseminação de doenças, entre outros problemas. “Outros momentos como esse serão replicados em outros ambientes, e com isso formaremos mais multiplicadores dos bons hábitos referentes à disposição dos resíduos sólidos urbanos”, salientou.

    “A responsabilidade sobre os resíduos sólidos urbanos é compartilhada entre governo, empresas, catadores e população, e para que possamos melhorar os serviços oferecidos é de fundamental importância que todos colaborem”, ressaltou a diretora de Controle de Poluição da SMMA, Bernadete Fernandes.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.