• Marcello Veríssimo

    Como faz anualmente perto da alta temporada de verão, o CRECI (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis) do estado de São Paulo divulgou sua pesquisa sobre aluguéis de casas na praia.

    Desde o último levantamento, feito em 2018, para o deste ano o CRECI registrou alta de até 446% no valor da diária em apartamentos de até três dormitórios nas cidades do Litoral Norte, como Caraguatatuba, Ilhabela e Ubatuba.

    De acordo com a pesquisa, o aluguel que era de
    R$ 575,00 ao dia, hoje sai por R$ 3.140,00/dia.
    O levantamento também aponta que na região
    casas e apartamentos de todos os tamanhos apresentaram os maiores aumentos nos valores de locação, com variação de 13,83% a 446%.

    A pesquisa leva em conta os preços de 24 imobiliárias das cidades de Caraguatatuba, Ilhabela, Ubatuba, São Sebastião, no Litoral Norte, além de Bertioga, Santos, São Vicente, Guarujá, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe, no Litoral Sul e na Baixada Santista.

    De acordo com o conselho, em contrapartida, os imóveis que estão disponíveis em imobiliárias do litoral centro sofreram redução nos valores das diárias. O CRECI analisou o cenário correspondente ao feriado de 15 de novembro.

    Em 2018, um apartamento com três dormitórios saia por R$ 1 mil ao dia. Hoje, segundo a pesquisa, o mesmo imóvel é alugado por R$ 525,00, uma redução de 47,5%.

    O presidente do CRECISP, José Augusto Viana Neto, disse que é natural após quatro anos e com uma demanda reprimida durante a pandemia da Covid-19 os proprietários dos imóveis de temporada queira recuperar o capital investido e acabem aumentando as diárias do aluguel. Mas mesmo assim, segundo Viana, para uma família de tamanho médio ou um grupo de amigos ainda compensa alugar uma casa ou apartamento e dividir as despesas. “Uma casa de 4 dormitórios, no Litoral Centro, cuja diária está em R$ 990,00, comporta 16 pessoas, em média, o que daria um valor de R$ 61,87 por dia a cada integrante do grupo”, disse o presidente do CRECI.

    José Augusto também recomenda que, antes de alugar, os turistas procurem imobiliárias ou corretores que atuem nesta área, evitando os anúncios de particulares divulgados pela internet, que muitas vezes podem estar disfarçando um golpe “O risco de chegar ao local e não encontrar o imóvel que se alugou, perdendo tudo o que foi investido, é muito alto. A locação por intermédio de profissionais sérios e habilitados é muito mais segura e evita prejuízos às partes.”

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.