Marcello Veríssimo

A Polícia Militar Ambiental Marítima de São Paulo, subordinada ao 3°BPAmb, divulgou nesta quinta-feira (1º) o balanço de apreensões realizadas entre os meses de janeiro e novembro deste ano. De acordo com a polícia, foram apreendidas 241 redes de pesca, flagradas durante a pesca ilegal e predatória. Somadas, as redes ultrapassam 55, 3 quilômetros.

A Polícia Ambiental informou que tratam-se de redes irregulares que são armadas em locais proibidos, envolvidas em crimes ambientais nos mares de todo o Litoral Paulista. Também foram apreendidos mais de mil petrechos de pesca, incluindo varas, molinetes, armadilhas para crustáceos, entre outros.

Algumas destas redes são armadas em berçários naturais de espécies marinhas que acabam morrendo por não conseguirem emergir para respirar, como é o caso das tartarugas marinhas, toninhas e demais cetáceos. As redes também colocam em risco a segurança da navegação, banhistas e praticantes de esportes aquáticos.

A Polícia Ambiental conta com a ajuda da população para que façam denúncias sob sigilo. No Litoral Norte os telefones são: (12) 3842-0123 e 3842-0355.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *