O vereador Marcos Fuly toma posse, nesta segunda-feira (2), como o novo presidente da Câmara Municipal de São Sebastião para o biênio 2023/2024. A solenidade acontece, a partir das 19hs, no Plenário do Legislativo. Além de Fuly, tomam posse os demais membros da mesa diretora: Daniel Simões (vice-presidente), André Pierobon (1º Secretário) e Ercílio de Souza (2º Secretário).

O novo presidente tem como metas resgatar a imagem da Câmara e aproximar o Legislativo “dos legítimos interesses dos cidadãos”. De acordo com Fuly, “a Câmara é a Casa do Povo e precisa, mais do que nunca, ser o elo e ligação entre os interesses do cidadão e o comando administrativo do município”.

Politicamente, o novo presidente afirma ser defensor da independência dos poderes e que os “atritos políticos não são saudáveis para a comunidade”. No âmbito administrativo, ele garante que vai seguir as recomendações do controle externo do Legislativo efetuado pelo Tribunal de Contas “zelando pelo gasto de cada centavo do dinheiro público”.

Histórico

Marcos Fuly nasceu e viveu a infância na zona rural do Estado do Rio de Janeiro e, aos sete anos, começou a trabalhar na roça. Com 12 anos, já plantava sua própria lavoura.

Junto com seu irmão mais velho, Luiz, ainda aos 16 anos, veio para São Sebastião, sendo acolhido na casa de seu tio, Antônio.

Na cidade, seu primeiro emprego foi como frentista do posto de gasolina Kajiya. Aos 18 anos, ingressou na FAB-Força Aérea Brasileira, onde ficou até os 22 anos no serviço militar.

Empreendedor nato, de volta à cidade, abriu uma bicicletaria, onde trabalha até hoje, atendendo as comunidades da Topolândia, Itatinga, Olaria, e bairros próximos.

Marcos Fuly casou-se com a Sra. Edilene, em 1993, e tem 4 filhos, pautando sua vida em defesa da família e dos valores cristãos.

Conhecido como “Marcos Fuly da Bicicletaria”, com 29 anos, ele entrou na vida política, elegendo-se vereador no ano 2000, com 310 votos.

Na eleição seguinte, em 2004, subiu a votação para 551 e ficou como suplente no legislativo.

No pleito de 2008, a votação voltou a crescer para 733 votos, sendo um dos mais votados na cidade, porém, seu partido não conseguiu o coeficiente eleitoral.

Em 2012, quase dobrou sua votação com 1.393 votos e voltou a ser eleito vereador, sendo o terceiro mais votado do município.

Quatro anos depois, em 2016, foi candidato a prefeito e teve quase 3 mil votos.

Em 2020, foi novamente eleito vereador com 1.079 votos.

Foto: Luciano Vieira/ CMSS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *