Marcello Veríssimo

Uma luz de apoio ao turismo de São Sebastião. A prefeitura informou que começou a construção do Centro de Apoio ao Turismo Náutico, a Pesca e as Comunidades Caiçaras. O centro vai funcionar na rua Martins do Vale 294, no bairro São Francisco, região central da cidade. A obra envolve as secretarias de Obras, de Turismo e do Meio Ambiente.

A licitação de concorrência pública foi vendida pela empresa OFK Engenharia Eireli, que apresentou o valor de R$ 13.129.730,91. A verba será destinada por meio de convênio do município com o Dadetur (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos) da Secretaria de Turismo e Viagens do Governo do Estado de São Paulo.

Em São Sebastião, a secretária adjunta de Turismo, Niuara Helena de Lima Leal, disse que o Centro de Apoio ao Turismo Náutico, à Pesca e Comunidades Caiçaras foi aprovado pelo Conselho Municipal de Turismo. De acordo com Niuara, o objetivo é fomentar o turismo de pesca e de base comunitária, muito fortes no bairro São Francisco.

São Sebastião já é reconhecido e premiado pelo trabalho de turismo de base comunitária realizado, capacitando as comunidades tradicionais em busca de geração de renda e do desenvolvimento econômico e social. “São Francisco é considerado um bairro caiçara e, com essa obra, reforçaremos ainda mais a valorização do trabalho dos nossos pescadores, pois será um ponto de apoio ao turismo e à pesca do município”.

Top Destinos – A cidade venceu neste ano o prêmio Top Destinos Turísticos na categoria “Turismo Social”, consagrando-se bicampeã na categoria.

A prefeitura informou que, além disso, no ano passado, a cidade foi a vencedora do Prêmio Braztoa de Sustentabilidade, da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo, na categoria “Turismo de Base Comunitária: valorizando a cultura caiçara”.

Comunidade pesqueira – A diretora do Setor de Pesca, Agricultura e Abastecimento da secretaria de Meio Ambiente, Simone Monteiro, disse que o
Centro de Apoio ao Turismo Náutico, à Pesca e Comunidades Caiçaras também atende uma solicitação da comunidade pesqueira.

Ela explica que a frota pesqueira do município possui grande importância econômica, social, cultural e ambiental para a cidade e região.

Só em 2022, foram desembarcadas 185 toneladas de camarão registradas pelo Instituto de Pesca segundo o Programa de Monitoramento Pesqueiro. De acordo com Simone, o bairro
São Francisco concentra a maior parte dos pescadores de arrasto do município. “Assim como todas as atividades ao longo da cadeia de valores, como pré-captura, captura e pós-captura, exercidas em regime de economia familiar”.

Simone conta que no São Francisco se encontram a Colônia de Pescadores Almirante Tamandaré (Z-14), com aproximadamente 250 associados, a Fábrica de Gelo Municipal, um Rancho de Pesca e peixarias.“Por isso é de extrema importância a construção de estruturas de apoio à comunidade com áreas apropriadas para a atividade”.

Pelo projeto divulgado, o Centro de Apoio ao Turismo Náutico, à Pesca e Comunidades Caiçaras terá um píer com 270 metros para atracação simultânea de oito barcos com 12 metros de comprimento e quatro barcos de 15 metros. De acordo com a prefeitura, essa estrutura permite o descarregamento das embarcações por meio de caminhões, além do acesso de pedestres. O píer atenderá, em média, 200 pescadores artesanais da Colônia Z14, aproximadamente 150 pescadores de outros bairros e cerca de 35 embarcações de turismo de pesca.

O prazo de execução será de 18 meses, com a finalização prevista para o primeiro semestre de 2025.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *