A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo recebe, a partir desta segunda-feira (21), a exposição fotográfica “Fios do Sagrado”. A mostra apresenta a combinação única de 24 fotografias híbridas (combinação única de fotografia em preto e branco com técnicas de bordado) registradas em uma série de rituais de umbanda ocorridos no Templo Cabocla Muyana, localizado no bairro do Capão Redondo, zona sul de São Paulo.

Anna de Moraes começou a fotografar os rituais no templo caboclo como uma forma de registrar a casa e os trabalhos, não havia a pretensão de montar uma exposição. Foi a partir de um convite do Memorial da América Latina que a artista começou a pensar nesta possibilidade. “Muito do preconceito na religião eu acho que vem um pouco da falta de conhecimento. Ninguém é obrigado a amar a religião, não é essa a nossa proposta”. Segundo a fotógrafa, o intuito do ensaio, que durou um pouco mais de dois anos, foi o de provocar um olhar mais doce e respeitoso sobre as cerimônias de matriz africana.

Evento de lançamento

A exposição foi inaugurada, oficialmente, na noite desta terça-feira (21) com o seminário “Diálogos e Olhares sobre Religiões de Matrizes Africanas”, no Plenário José Bonifácio. O debate mediado pela jornalista Maria Cecília Carbone contou com a participação da fotógrafa Anna de Moraes, da yalorixá Sonia Apolinário, da yalorixá Katia Luciana, e do especialista em promoção e educação étnico racial, Maurício Ferreira dos Santos, e trouxe reflexões sobre a importância dos povos originários, da tolerância religiosa, e como tudo isso contribui para a cultura e formação do povo brasileiro.

A jornalista Maria Cecília Cabone indicou que o evento além de marcar oficialmente a abertura da exposição, “é também uma noite de celebração na direção de uma sociedade mais justa, mais democrática, onde o racismo não exista mais”.

Sobre a fotógrafa

Anna de Moraes atua há mais de 20 anos como fotógrafa nas áreas de fotojornalismo, eventos sociais e corporativos. É pesquisadora da cultura afro-brasileira e participa do Programa de Pós-Graduação em Africanidades e Cultura Afrobrasileira. Como voluntária na organização não governamental Alicerce do Bem, no Capão Redondo, trabalha com adolescentes em situação de vulnerabilidade, proporcionando-lhes uma plataforma para compartilhar suas vozes e experiências por meio da arte da fotografia. Amante das artes plásticas, atuou como fotógrafa no jornal Diário do grande ABC e como freelance para outras instituições. A paixão por expressões artísticas se reflete em suas fotografias.

Serviço

Exposição fotográfica “FIOS DO SAGRADO”

Data: De 21 a 28 de novembro

Horário: 8h às 20h, de segunda a sexta-feira

Local: Espaço Cultural V Centenário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *