Marcello Veríssimo

A Polícia Ambiental, em Ubatuba, encontrou nesta quarta-feira (20) duas redes de pesca do tipo emalhe submersa na Praia do Camburi, que fica dentro do setor Cunhambebe da APA Marinha Litoral Norte. O flagrante é da 5ª Companhia de Polícia Militar Ambiental Marítima do 3° BPAmb (Batalhão de Polícia Ambiental), e foi registrado durante patrulhamento da Operação Impacto, Piracema e Verão.

De acordo com a polícia, as redes somaram 1.500 metros de comprimento sendo utilizadas para pesca ilegal e predatória. A polícia informou que a primeira rede tinha 800 metros e estava identificada por pequenos galões brancos e azuis, presos em suas extremidades.

A segunda rede, um pouco menor com 700 metros, era do tipo emalhe de fundo e foi confeccionada em nylon e cabos de cores azul, marrom e verde. Ambos petrechos não tinham identificação.

Os policiais retiraram as redes do mar, e após constatar a inexistência de embarcações com pescadores que pudessem ser os responsáveis pelos petrechos, iniciou-se a retirada das redes da água.

As redes haviam cumprido seu objetivo e os pescadores iriam passar um Natal mais saboroso com pratos à base de frutos do mar. Foram retiradas três Raias-Chita, 20 Raias-Viola e quatro Cações-Anjo. Os animais estavam vivos e foram devolvidos ao mar.

Parto

Os policiais foram surpreendidos enquanto retiravam os animais das redes, um dos Cações-Anjo estava com dois filhotes emalhados. Quando estava sendo retirada começou a eclodir outros filhotes.

De acordo com a polícia, foram realizadas manobras para auxiliar que todos os filhotes conseguissem nascer antes de serem devolvidos ao mar, incluindo a mãe.

As espécies Cação-Anjo e Raia Viola constam na lista de animais ameaçados de extinção. O material foi apreendido e levado para a base da Polícia Ambiental.

Para denúncias a Polícia Ambiental, ligue no Litoral Norte (12) 3842-0123.

By srneto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *