Marcello Veríssimo

A polêmica está no ar, ou melhor no mar, em São Sebastião. O presidente da Câmara de Vereadores, Marcos Fuly(DEM), protocolou um projeto de lei que pretende barrar o embarque de animais vivos para exportação a partir do Porto de Sebastião. Trata-se de um problema antigo na cidade, até agora sem solução, com críticas de ambientalistas e apoio de empresários e investidores.

Apesar disso, fontes políticas explicam que o projeto de Fuly não tem a mesma visão do prefeito Felipe Augusto nem do vice-prefeito Reinaldinho Moreira. Fuly não era o candidato à presidência da Câmara do prefeito Felipe Augusto em 2022, e após eleito, o início de seu mandato foi na oposição à administração, mas se aproximou do prefeito Felipe Augusto no segundo semestre do ano passado, e novamente se vê num assunto divergente do que defende o prefeito que pode, inclusive, vetar o mesmo caso caso seja aprovado pelos demais vereadores. De acordo com a Câmara, o projeto deve ser votado somente em maio.

Também nesta terça-feira, no retorno das sessões da Câmara, ambientalistas ligados a ONG ‘s da causa animal vão realizar uma nova manifestação em apoio ao projeto do vereador.

O projeto de Fuly atende uma reivindicação das entidades não governamentais do município e de todo o país que cobram o fim das exportações de animais vivos nos portos brasileiros, principalmente, devido à crueldade sofrida pelos animais. No caso de São Sebastião, argumenta-se ainda que a exportação não traz benefícios, apenas danos ao município.

Várias entidades preparam manifestação contra o embarque de cargas vivas pelo porto de São Sebastião nesta terça-feira(6). Os manifestantes também pretendem comparecer à Câmara para prestigiar o ato do presidente da Câmara, Marcos Fully.

João Carlos Pereira Júnior, um dos integrantes do movimento ambientalista, disse que o parlamentar foi “sensível ao anseio de grande parte da população”, que segundo ele se sente assediada com o mau cheiro que sai dos navios com os animais. “E a crueldade escancarada nos caminhões boiadeiros que circulam pela cidade”, disse ele. “Também preocupa os riscos ao meio ambiente oferecidos pelos navios sucata, que transportam esses animais”.

De acordo com o movimento dos ambientalistas, já foram coletadas 5 mil assinaturas contra as operações no Porto e favoráveis ao projeto do vereador Marcos Fuly. João disse que, até maio, quando o projeto for a votação, o objetivo é dobrar esse número.

Economia

Para se ter uma ideia da grandiosidade das operações, ano passado foram exportados por São Sebastião mais de 200 mil animais vivos. Somente em janeiro deste ano, quase 10 mil animais foram embarcados.

Além do Porto de São Sebastião, um dos poucos no país a realizar esse tipo de operação, as exportações de animais vivos também são feitas pelos portos de Rio Grande, Imbituba e Vila do Conde.

O JDL tenta falar com o vereador Marcos Fuly, mas ele não foi encontrado para comentar o assunto, assim como o prefeito Felipe Augusto e o vice Reinaldinho também não foram localizados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *