Marcello Veríssimo

Com o amanhecer desta quinta-feira (7) ficou mais claro para as autoridades contabilizar os estragos causados pela tempestade de verão que atingiu a região na noite desta quarta-feira (6). Caraguá e Ubatuba foram as cidades mais afetadas.

As fortes chuvas causaram a interdição temporária nas duas principais rodovias de acesso aos municípios. Na Serra da rodovia Oswaldo Cruz (SP-125) foram registradas quedas de árvores e barreiras.
De acordo com o DER (Departamento de Estradas de Rodagens), assim como a Tamoios, a Serra da Oswaldo Cruz, que liga Taubaté a Ubatuba, está interditada entre os quilômetros 79 e 89, que foi o mais atingido pela chuva.

O DER informou que choveu cerca de 250 mm neste trecho da rodovia.

A Defesa Civil de Ubatuba informou que foram registradas diversas ocorrências em razão da chuva.

Além da rodovia Oswaldo Cruz, a estrada do Monte Valério também está interditada por causa da chuvarada.
Bairros como Taquaral e Agelim ficaram alagados, inclusive a água também invadiu residências.

De acordo com a prefeitura, sete famílias foram desalojadas, com seis adultos e 10 crianças.

Eles foram levados para abrigos na escola José Simeão, sendo acolhidos por funcionários da Secretaria de Assistência Social.

A enxurrada também atingiu os bairros Colônia de Férias e Pé da Serra. Árvores também caíram na rua Conceição e o bairro Mato Dentro também registrou alagamentos.

De acordo com os meteorologistas, deve chover até esta sexta-feira (8) na região.
Para se ter uma ideia, em 72horas, choveu 111mm em Lagoinha e mais de 135 mm em Itamambuca.

Caraguatatuba

A Defesa Civil informou que a chuva atingiu diferentes bairros e regiões da cidade.
Somente na região do Parque Estadual da Serra do Mar choveu 80mm em aproximadamente uma hora.

As equipes de socorro realizaram o atendimento e monitoram as áreas alagadas. De acordo com a Defesa Civil, a vazão dos rios que transbordaram foi prejudicada durante a madrugada por causa da maré alta.

Uma família precisou ser removida de casa no bairro Rio do Ouro, na região norte, uma das mais atingidas na cidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *