Marcello Veríssimo

A vitória do vereador Diego Nabuco (PSDB), que conseguiu uma liminar suspendendo seu afastamento da Câmara de São Sebastião, menos de uma semana depois de oficializada a denúncia de assédio sexual por parte de uma ex-assessora, causou revolta em parte da população, principalmente às mulheres. Muitos comentários sobre o assunto tomaram conta das redes sociais no final de semana e a grande maioria deles, com avaliações negativas da decisão judicial.

Na sexta-feira (19), o juiz Vitor Hugo Oliveira concedeu uma liminar autorizando o vereador Diego Nabuco a retornar ao trabalho na Câmara. A decisão suspende o afastamento, que foi aprovado por unanimidade na sessão da última terça-feira (16), diante o escândalo do suposto assédio sexual a uma ex-assessora parlamentar.

O presidente da Comissão de Ética, vereador Wagner Teixeira (União Brasil) disse a reportagem do JDL neste sábado (20), que até esta sexta-feira a Câmara ainda não havia sido notificada sobre a decisão e que não poderia dar detalhes sobre os motivos que levaram o juiz a decidir em favor de Nabuco. “Triste!”, lamentou Teixeira.

O processo corre em segredo de Justiça. De acordo com especulações, que circulam nas redes sociais, Nabuco pode ter apontado alguma falha no procedimento feito pela Câmara ou a falta de previsão legal para o afastamento, o que teria causado a decisão favorável ao seu pedido ao magistrado.

Embora tenha conseguido a decisão liminar, Diego Nabuco ainda continua sendo investigado e será julgado pela denúncia de assédio sexual em seu gabinete, entre outras.

O vereador Nabuco não fala diretamente com os jornalistas, apenas se manifesta por nota e em suas redes sociais. Em sua publicação mais recente ele diz, em vídeo, ao lado da esposa e das filhas que foi vítima de manipulação política para impedir sua candidatura nas eleições de outubro.

“De uma acusação a uma condenação, bastou somente uma sessão. Conquistamos o direito de reassumir o mandato dado pelo povo”. “Não vão nos parar com armações políticas”, disse Nabuco.

Para algumas mulheres, ouvidas pela reportagem, a decisão da Justiça só reforça a sensação de “privilégios e impunidade” dada aos políticos.

“É lamentável ele poder voltar ao poder, para continuar usando este poder e assediar mulheres nos dias atuais em que o assédio está aí escrachado para todos verem”, disse, indignada, a empresária e youtuber Lisa Aranha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *