Marcello Veríssimo

A Polícia Ambiental, no Litoral Norte, divulgou na tarde desta segunda-feira (10) balanço do total de apreensões de rede de pesca neste ano. Os dados são da 5ª Companhia de Polícia Militar Ambiental Marítima do 3° BPAmb (Batalhão de Polícia Ambiental).

De acordo com o levantamento, entre o mês de janeiro até o dia 9 de junho foram apreendidas 56 redes de pesca, totalizando 10,5 quilômetros de redes. Esses petrechos são da pesca ilegal e predatória, sendo redes proibidas, que são armadas de forma irregular e envolvidas em crimes ambientais nas águas de todo o Litoral Paulista.

De acordo com a polícia, além das redes também foram apreendidos até o momento mais 130 outros petrechos de pesca, como varas, molinetes, arbaletes, portas de arrasto, tangones entre outros.

A mais recente apreensão foi registrada na última sexta-feira (07), com mil
metros de rede apreendidos em Praia Grande, na Baixada Santista. Três pescadores foram autuados e tiveram a rede, embarcação, e motor apreendidos, além de 15kg de peixes, que foram doados ao Lar de Idoso Eno Gregório, em Guarujá, também na Baixada.

De acordo com a polícia, algumas destas redes são armadas em berçários naturais de espécies marinhas que acabam morrendo por não conseguirem emergir para respirar, como é o caso das tartarugas marinhas, toninhas e outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *