Marcello Veríssimo

Um novo estudo da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), divulgado no dia 31 de maio, identificou 826 espécies vivendo na Baía do Araçá, na região do Topovaradouro, em São Sebastião. O local, alvo de polêmica nos últimos meses e risco de desapropriação, também é o lar de 11 espécies que ainda não foram documentadas pelos cientistas.

Além da Unicamp, o estudo foi realizado por pesquisadores da USP, com o apoio de outras instituições brasileiras e estrangeiras identificou 826 espécies vivendo na Baía do Araçá, em São Sebastião. O estudo foi publicado pela Revista Biota Neotrópica.

Os especialistas explicam que estas espécies que vivem no fundo do mar, principalmente em costões rochosos e fundos arenosos, são chamadas de organismos bentônicos.

Os pesquisadores coletaram amostras em diferentes pontos e habitats do Araçá.

De acordo com os pesquisadores, essa nova descoberta foi possível pois estudos anteriores
serviram de base para identificar os organismos da fauna bentônica da baía.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *