• Marcello Veríssimo

    Chegou o momento dele! Faltando poucos dias para o Natal, o mercado de trabalho para o Papai Noel está aquecido como os dias do verão brasileiro e quem se parece com o bom velhinho aproveita para garantir um dinheiro extra nesta época do ano.

    Mas engana-se quem pensa que para encarnar o personagem mais importante deste período só precisa ter barriga, barba e vontade para trabalhar horas, sempre sorrindo. É preciso ter alma de Papai Noel.

    Em Ilhabela, a reportagem do JDL acompanhou parte da rotina da preparação de um dos papais noéis mais cativantes do Litoral Norte. Trata-se de Dorival Saran, 74, que nesta época do ano deixa sua identidade de lado e, por onde passa, responde como o simpático Noel.

    Do alto da imponência de sua barba branca, que se encaixa perfeitamente ao formato do seu rosto, Dori, como é chamado pelos amigos, mudou-se de Maringá, no Paraná, para Ilhabela em 1968 e construiu sua vida no arquipélago.

    Bastante conhecido pela ilha, Dorival sempre trabalhou como autônomo, mas nunca pensou que o “espírito do bom velhinho” o escolheria para dar vida a ele. “Já fazem alguns anos. Estava saindo do supermercado quando fui abordado pelo senhor Roberto com um ho ho ho, ele perguntou onde eu iria trabalhar”, ele relembra, com carinho da oportunidade que lhe foi dada.

    Dori lembra que, em um primeiro momento, foi surpreendido, mas aproveitou a chance. De lá para cá, a partir de 2018, foi convidado para fazer festas particulares e confraternizações em diversos lugares de Ilhabela, como o Hospital Mário Covas, creches, escolas e comércios. “Fui à Praia do Bonete, Castelhanos, todas as creches, colégios”, conta Dori, que era uma espécie de Papai Noel oficial do município durante o governo do ex-prefeito Marcos Tenório.
    A primeira apresentação feita por Dori como Papai Noel foi para o Yacht Clube de Ilhabela.

    No ano passado, Dori também levou alegria à festa promovida pela Torcida Camisa 12 do Corinthians, de Ilhabela, com 150 crianças. A dobradinha com a torcida corinthiana volta a se repetir este ano na festa do dia 11 de dezembro, para as crianças da comunidade dos camarões

    Por conta da semelhança com o personagem natalino, Dori conta que lida bem com o assédio das pessoas durante todo ano, mas nesta época aumenta muito. “Sai no domingo para ir até a balsa e tirei umas 50 fotos”, ele brinca. “Todos querem tirar fotos, mas eu dou atenção às crianças”.

    Neste momento com os pequenos, Dori conta que aproveita para “dar uma aulinha” e passar bons valores morais e costumes. “Sempre digo para primeiro escovar os dentes ao levantar, se alimentar bem, respeitar os pais e não falar palavrões, aí dou o presente”, disse o Papai Noel, acrescentando que, embora seja um trabalho, encara a atividade também com satisfação por fazer bem ao seu coração. “Falo com todo mundo, desde o pipoqueiro até o prefeito, esse é o espírito do Natal”.

    Dori Noel da Ilha – Durante esse período, o Papai Noel recebe muitos pedidos por todas as partes do mundo. Ao ser questionado sobre o que pediria para o Papai Noel, Dori conta que pediria mais amor, vida e saúde. “Saúde eu tenho bastante, mas sempre é bom. Minha mãezinha tá com 97, eu quero chegar aos 100”, disse ele.

    Para saber mais e contratar Dori Noel da Ilha, basta consultar por telefone e Whatsapp (12) 99679-5668.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.