• Marcello Veríssimo

    A Justiça de Caraguatatuba aceitou denúncia do Ministério Público de São Paulo contra o homem acusado de matar e arrancar o pênis do companheiro de sua ex-namorada, no bairro Perequê-Mirim, região sul do município. O crime aconteceu no dia 31 de outubro e chocou a cidade.

    O JDL acompanhou o caso e conversou com fontes policiais que disseram que o assassino, que tem 27 anos, é um homem frio e não demonstrou arrependimento nenhum. De acordo com a polícia, ele não aceitava o fim do relacionamento.

    O crime foi praticado com requintes de crueldade. O acusado invadiu a casa da ex-namorada, bateu nela, e depois ainda espancou até a morte o homem com que ela estava em um relacionamento. O espaçamento foi a pauladas.

    Com a vítima já inconsciente, o criminoso ainda decepou o pênis da vítima. Além dos ferimentos graves, a castração do homem causou uma hemorragia, o que pode ter contribuído ainda mais para sua morte. O homem ainda teria jogado o órgão para o cachorro da casa comer.

    A denúncia do Ministério Público pede a condenação do assassino por homicídio qualificado com agravante de motivo fútil, por meio cruel e pelo recurso que dificultou a defesa da vítima. Mas não é só isso: ele ainda pode responder por violação de domicílio, lesão corporal contra a mulher, furto, constrangimento ilegal e perseguição.

    O MP afirma que no homicídio o acusado matou a vítima em razão do sentimento de posse que nutre pela ex-namorada e que revela “uma brutalidade fora do comum”.

    Na última sexta-feira (18), o juiz Júlio da Silva Branchini acatou a denúncia do Ministério Público Ele determinou que o caso passe a ser público. A defesa do acusado agora tem 10 dias para responder.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.