Atracou no Porto de São Sebastião, nesta quinta-feira (23), o maior navio de guerra da Marinha do Brasil, para reforçar o atendimento às vítimas do temporal que assolou a cidade no último domingo (19). Na chegada, o prefeito Felipe Augusto se encontrou com os ministros de Portos e Aeroportos, Márcio França, e de Desenvolvimento Regional, Waldez Góes.

Em entrevista coletiva, Márcio França afirmou que uma das prioridades do governo federal é retirar as moradias das encostas. Também orientou que as pessoas só se desloquem para o município em caso de “extrema necessidade”, porque apesar da desobstrução de trechos da rodovia Rio-Santos, a medida ainda é emergencial.  Por essa situação, segundo o ministro, não é possível recomendar retorno e chegada de turistas à cidade. A Defesa Civil do município, por meio da Prefeitura, soltou novo alerta de chuva para esta quinta-feira (23).

França e Waldez Goez participaram de reunião, com o comando do navio. O objetivo foi definir destalhes da operação em São Sebastião e região.

Sobre a tragédia 

Até esta quinta-feira (23), o Governo do Estado havia confirmado o registro de 48 óbitos, em decorrência das fortes chuvas que assolaram o município na madrugada de domingo (19). Há, no momento, 1.845 abrigados em São Sebastião, em escolas, creches, igrejas e Ong. No momento, 38 pessoas seguem desaparecidas no município. Trinta e oito corpos já foram identificados e liberados para o sepultamento. São 13 homens adultos, 12 mulheres adultas e 13 crianças.

A Secretaria de Estado da Saúde informa que 29 vítimas das chuvas foram atendidas, até o momento, no Hospital Regional do Litoral Norte (HRLN), em Caraguatatuba. Deste total, 17 permanecem internados com estado de saúde estável. Outros cinco pacientes já receberam alta hospitalar e quatro foram transferidos para outras unidades.

O navio

O ‘Navio-Aeródromo Multipropósito Atlântico’ tem 200 metros de comprimento e capacidade total de transportar até 1,4 mil militares e 18 aeronaves. A embarcação trouxe para São Sebastião 28 médicos de diversas especialidades entre ortopedista, cirurgião geral, anestesista, cirurgião dentista, farmacêutico e profissionais de enfermagem e de saúde bucal.

Serão mais de 200 leitos hospitalares disponíveis, ampliando a capacidade de atendimento às vítimas das fortes chuvas que atingiram o município.

A estrutura dispõe de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) completa e irá ajudar a desafogar os hospitais da região que estão priorizando casos mais graves.

De acordo com informações do Estado, o Atlântico conta ainda com seis helicópteros e três embarcações de desembarque de viatura e pessoal, que terão a tarefa de chegar a localidades isoladas e que estão sem acesso terrestre. Cada uma das três estruturas tem capacidade para transportar 35 pessoas

By srneto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *