Empresa Ideal Infraestrutura e Montagem, de São Sebastião, foi acusada de realizar serviço de péssima qualidade e chamada de picareta por parlamentares.

 

Em pronunciamento na Tribuna Popular, na Câmara de Ubatuba, o ex -vereador Charles Medeiros teceu fortes criticas contra a reforma executada na estrada da praia da Fortaleza, em Ubatuba, “uma obra recém terminada a um custo de R$ 8 milhões e que já está completamente deteriorada, um serviço de péssima qualidade.”

A recuperação do pavimento da estrada Vereador José Alves Barreto, que liga a rodovia SP-055 à praia da Fortaleza, com 6,9 km de extensão, era uma demanda antiga da comunidade.

Segundo Charles, “aquela obra sob responsabilidade do DER, do Governo do Estado, que seria para resolver um problema público, obra realizada com dinheiro nosso, dos nossos impostos, que seria um sonho concretizado, acabou se tornando um pesadelo. Há poucos meses terminada, já encontra-se cheia de buracos”.

Ele sugere que os vereadores, “eleitos, diplomados e empossados pela Justiça Eleitoral, que façam um documento conjunto, um requerimento assinado por todos dirigido ao Governador do Estado, com cópia ao Ministério Público, para que a empresa que fez a obra, que ela concretize o trabalho, exigindo que o serviço que foi mal feito seja corrigido, que faça de forma correta, que faça valer o dinheiro que ela recebeu pelos trabalhos, que é o nosso dinheiro, que é dinheiro público. Quando a sociedade não consegue chegar no Executivo, ela sabe que pode chegar na Câmara Municipal, que vai encontrar ali uma porta aberta”, concluiu.

Sanguessuga do dinheiro público

Em resposta, o vereador Rogério Frediani (PL) parabenizou o ex-vereador Charles, informando que os dois trabalharam juntos em muitas conquistas em 2003/2004 e informa que “já havia corrido atrás desse problema da estrada da Fortaleza, por causa da empresa que executou a obra, a empreiteira Ideal Infraestrutura e Montagem, sanguessuga do dinheiro público. Ela ganha licitações a um preço e começa a fazer série de aditamentos para aumentar valor da obra”, denunciou.

Segundo Frediani, “não se trata apenas da estrada da praia da Fortaleza. A empresa tem vários outros contratos em Ubatuba. Temos também a ponte da Maranduba onde ela destruiu o caminho da Sabesp ali no Sertão da Quina. O DER tem horror dela, não quer que ela participe de mais nada aqui. Agora trabalha com a CCR, aí faz direito porque é empresa privada”.

O vereador pelo PL insistiu que “sabe da dificuldade que está sendo lidar com a Ideal, empresa sediada em São Sebastião. Ela vem sim, pedindo série de aditamentos, que atrasam a obra às vezes em anos, faz a passos de tartaruga. O repúdio aqui tem que ser contra essa empresa, que ganhou uma licitação, ganhou a um preço e depois vem os aditamentos. É ela que vem nos atrapalhando”, concluiu Frediani.

“Empresa picareta” 

O vereador Adão Pereira (PSB)– disse que a empresa é acostumada a travar obra, e acusou a Ideal de ser uma empresa picareta.

“Esta estrada da praia da Fortaleza é outra demanda nossa. Sabemos todos que essa empreiteira é uma empresa picareta. Se o dono quiser contestar que venha aqui e vamos repetir que é picareta mesmo, acostumada a travar obras, trava a cidade, trava tudo”.

Por sua vez, o vereador Jorge Ribeiro (PV) disse que “o deputado André do Prado foi o grande lutador para trazer recursos para esta estrada da Fortaleza e depois acontece isso. A empresa joga lá em baixo no preço para ganhar e depois vem com aditivos A empresa joga preço baixo para ganhar licitação e depois começa a encher de aditivos”, denunciou.

Mas, segundo Jorginho, “a boa notícia é que a nova lei de licitação cria um seguro de obras para que uma empresa que não possa concluir, o seguro possa cobrir a finalização. Que o Executivo possa agora trabalhar com essa nova lei de licitações com mais garantias não só de qualidade na obra mas também sejam terminadas, com mais transparência”, sugeriu.

Denúncias na imprensa regional

Veículos de comunicação regional já haviam acolhido várias reclamações de moradores ali. Conforme a obra foi sendo executada, a comunidade foi percebendo que havia algo errado. Trechos que já haviam recebido o novo asfalto, pouco tempo depois começaram a apresentar problemas, como buracos, asfalto trincado ou estourado. De acordo com os moradores, em muitos pontos não foram colocadas guias, prejudicando a drenagem da água.

No final de setembro, a Associação dos Moradores do Bairro da Fortaleza (AMFORT) enviou ofício ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e ao DER pedindo providências para a finalização da obra. A Prefeitura de Ubatuba não faz parte do contrato de execução mas faz fiscalização conjunta com o DER.

O Departamento de Estradas de Rodagem estadual informou que realiza revisão do projeto das obras de recuperação do pavimento na Estrada Vicinal da Fortaleza, em Ubatuba. Os novos estudos apontarão a melhor solução técnica para as intervenções necessárias no local. Após a conclusão desses projetos, será possível anunciar um cronograma de execução das obras”. Contatada pela imprensa, a empresa não retornava com resposta.

By srneto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *