Marcello Veríssimo

As rodovias brasileiras precisam ser recapeadas. O que todo mundo já sabe ficou ainda em evidência após a divulgação do balanço anual da CNT (Confederação Nacional dos Transportes) sobre a qualidade das rodovias, que avaliou toda a malha viária das rodovias federais e os principais trechos estaduais.

Ao todo foram analisados 111.502 km de estradas entre São Paulo e Rio. Entre as rodovias paulistas, a melhor classificada é a Carvalho Pinto, que ficou na 19a colocação no ranking CNT 2023.

Com pouco mais de 86 km de extensão, a rodovia começa no entroncamento com a Ayrton Senna, em Guararema, e segue até Taubaté, no Vale do Paraíba.

De acordo com a pesquisa, de maneira geral, 67,5% da malha rodoviária pavimentada apresenta algum tipo de problema. A pesquisa avaliou a qualidade das rodovias regular, ruim, péssima ou ótima/boa.

Apenas 32, 5% da malha é considerada ótima ou boa. De acordo com a pesquisa, a rodovia melhor avaliada foi a Via Lagos, que percorre a região dos Lagos, no Rio.

Com 57 km de extensão, a RJ-124 liga a região metropolitana do Rio de Janeiro aos municípios de Saquarema, Araruama, Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia, Cabo Frio, Arraial do Cabo e Búzios.

Por dentro das rodovias – Nas rodovias paulistas, segundo a pesquisa, 26% da malha viária pavimentada apresenta algum tipo de problema e 74% é considerada ótima ou boa.

Em São Paulo, a pesquisa analisou 10.574 kms, que equivalem a 9,6% das rodovias avaliadas no país. Entre os aspectos avaliados também estão pavimentos, sinalização e os pontos críticos que são 2.648 nas rodovias federais e 41 nos trechos das rodovias estaduais.

Para se ter uma ideia, os investimentos necessários na recuperação das rodovias do país, em ações emergenciais e de manutenção giram em torno de R$ 94 bilhões. Já nas rodovias de São Paulo esse montante é de R$ 6,82 bilhões.

Rio-Santos – Entre as rodovias paulistas, está a Rio-Santos (SP-55), que corta todo o litoral e foi avaliada como boa em todo seu estado geral, no caso do pavimento e da geometria, assim como a sinalização da rodovia foi avaliada como regular.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *