Marcello Veríssimo

Falta pouco para o calendário virar e com o início do ano novo também é o momento para pensar sobre o que se passou nos últimos 12 meses.

De acordo com os especialistas, nessa época do ano é importante dar uma pausa, encontrar maneiras de fazer uma reflexão honesta dos acontecimentos do ano com o objetivo de fazer um balanço do que valeu ou não a pena e assim ampliar a percepção sobre o que acontece na vida de cada um.

A retrospectiva pode ser feita de algumas maneiras, entre elas de forma escrita para pensar nas áreas da vida separadamente, e analisar sobre os campos mais importantes para a vida de cada um, seja nas áreas familiar, profissional, saúde, espiritual.

Recomeços

Finalizar ciclos, recomeçar. Os especialistas dizem que sob o prisma de espaço e tempo, da vida cíclica, o ano novo é uma possibilidade de recomeço, uma chance
para fazer diferente, e direcionar a vida para aquilo que se quer conquistar no novo ano.

Historicamente, o cenário perfeito para fazer a retrospectiva durante as festas de Réveillon inclui o mar. “Eu ainda não sei onde vou passar, mas com certeza estarei perto do mar para fechar os olhos, agradecer por tudo na vida”, disse a jovem professora de São Sebastião, Tatiana Bortoloni.

A doutora em linguística, Vívian Cristina Rio Stella, disse que fazer uma retrospectiva do que se viveu durante o ano, com a proximidade do Réveillon é uma oportunidade para ter
novos insights e reforçar as metas de para o ano novo.

Ela conta que o segredo está em escrever. “Separe uma folha de caderno, um post it, abra um arquivo no word ou use aplicativos como o trello. O importante é listar, escrever, para materializar os pensamentos, ideias”. “Pode ser 5 minutos por semana neste mês de dezembro, mas se quiser aprofundar a reflexão, faça 5 minutos por dia ou 30 minutos na semana”, disse Vívian.

Vertentes

São dezenas de vertentes para analisar os benefícios da retrospectiva na evolução humana.

Pelo olhar da terapeuta holística e naturopata Giovana Soares a astrologia e o tarot terapêutico são ferramentas que dão um norte para fazer escolhas mais assertivas no ano novo. “São ferramentas que possibilitam ver as energias para os 12 meses seguintes, como também quando chegamos ao final do ano fazemos uma retrospectiva para avaliar se seguimos essas orientações e consequentemente um ano mais, leve, próspero e harmônico”.

O também antropólogo e terapeuta, Caian Mello, reforça a fala da colega e diz que no final do ano muitas pessoas gostam de planejar seu futuro, retraçar metas ou avaliar como foi esse período. “Existem conhecimentos milenares de várias partes do mundo, voltados a compreender os ciclos – um deles é a astrologia”, conta.

De acordo com o terapeuta, porém a maioria dos povos humanos dedicou sua filosofia, ciência e diversos outros conhecimentos a compreender o tempo como composto por ciclos. “Compreender o que nos propõe cada ciclo natural permite que nos coloquemos na vida de forma mais saudável e efetiva”.

Por fatores simples, Caian conta que a maioria das pessoas chegam ao fim do ano exaustas. “Nós nos separamos do fluxo natural de vida, da integração com o ambiente à nossa volta, com os ciclos naturais”.

Para saber mais sobre o trabalho dos terapeutas basta seguir os perfis no Instagram @caian.pessoal e @giovanasoaresterapeuta

By srneto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *