Marcello Veríssimo

Nesta segunda-feira (8), pela primeira vez, a FAB (Força Aérea Brasileira) admitiu que as chances de encontrar a tripulação do helicóptero Robinson R44, que está desaparecido na Serra do Mar, com vida são cada vez menores. A aeronave desapareceu no dia 31 de dezembro enquanto voava para Ilhabela, onde os tripulantes iriam passar o Réveillon.

De acordo com a Força Aérea Brasileira, já são mais de 56 horas de buscas sem nenhum sinal do helicóptero.

O piloto e três passageiros continuam desaparecidos. A área total em que são realizadas as buscas é de cinco mil metros quadrados.

As buscas são realizadas pela aeronave SC-105 Amazonas, do Esquadrão Pelicano, e é reforçada pelo helicóptero H-60 Black Hawk, do Esquadrão Pantera, da Força Aérea Brasileira que conta com o apoio da Polícia Civil, do Comando de Aviação da Polícia Militar e o Cavex (Comando de Aviação do Exército).

Famílias

De acordo com a imprensa brasileira, as famílias dos passageiros ainda tem esperança de encontrá-los vivos a qualquer momento, mas sabem que a cada dia que passa essas chances são cada vez menores.

O Robinson decolou do aeroporto Campo de Marte, em São Paulo, no domingo (31), por volta de 13h, e seguia para Ilhabela para a virada do ano, mas desapareceu dos radares após duas horas de voo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *