Marcello Veríssimo

Após a retirada dos corpos neste sábado (13), as autoridades envolvidas nas operações de busca ao helicóptero Robinson R44 disseram aos jornalistas que a aeronave ficou completamente destruída com a queda em uma área de mata fechada na serra, no trecho de Paraibuna, Vale do Paraíba.

O que sobrou da aeronave foi encontrado na última sexta-feira (12) depois de uma incessante operação que durou 12 dias unindo as principais forças de segurança do país. Ao lado da aeronave estavam os corpos e objetos pessoais das vítimas.

Para poder retirar os corpos dos quatro tripulantes que morreram na queda do helicóptero, homens da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros passaram a noite de sexta para sábado abrindo
uma trilha pela mata.

É que as condições do tempo não estavam favoráveis para a retirada dos corpos com os helicópteros da polícia.

De manhã, os socorristas seguiram por uma trilha na mata até uma estrada de terra onde os cadáveres foram colocados em carros funerários e levados até o IML ( Instituto Médico Legal) de São José dos Campos.

De acordo com a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo), após os exames necroscópicos, os corpos foram liberados aos familiares no fim da tarde do último sábado.

Autoridades

O delegado da Polícia Civil, Clemente Calvo Castilho, da Divisão de Operações Especiais, disse que os corpos foram identificados por meio do DNA e das impressões digitais, dispensando o reconhecimento da família e poupando sofrimento.

De acordo com a Força Aérea Brasileira, as investigações desta primeira fase no local do acidente também foram concluídas no último sábado.

O Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) informou que agora a conclusão das investigações deve ter o menor prazo possível. “Dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os possíveis fatores contribuintes”.

A CBA Investimentos LTDA, operadora da aeronave, disse em nota aos jornalistas que presta o apoio necessário aos parentes das vítimas, incluindo traslados e sepultamentos.

“Expressamos nossa solidariedade aos familiares das vítimas”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *