Marcello Veríssimo

O clima está em colapso. De acordo com os meteorologistas, o mês de janeiro foi marcado por chuvas torrenciais em diferentes partes do país, incluindo o litoral de São Paulo.

A explicação vem junto com a formação de dois episódios de Zona de Convergência do Atlântico Sul neste primeiro mês do ano, além da atuação da Zona de Convergência Intertropical, que somadas ao calor extremo do verão, altas temperaturas e a umidade proporcionaram as condições ideais para formação de nuvens de chuva.

De acordo com os meteorologistas, a atuação da Zona de Convergência do Atlântico Sul proporcionou muita chuva sobre o norte de Mato Grosso, no Distrito Federal, no Tocantins, na Bahia e no Espírito Santo.
Mas foi no Litoral Paulista, incluindo o Litoral Norte, choveu tanto.

Para se ter uma ideia, somente em Ubatuba, os acumulados de chuva ultrapassaram os 500 mm.

Na praia da Almada, por exemplo, o Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais)
quase 579 mm, em 29 dias.

Caraguatatuba

A região de Caraguatatuba teve de 400 mm a 600 mm de chuva. De acordo com os meteorologistas, somente na Tabatinga, na região norte do município, o volume de chuva acumulado em 29 dias foi de 583 mm. “Estes valores são provisórios e ainda podem sofrer alterações até o último dia de janeiro”, dizem os meteorologistas.

Em São Sebastião, que no ano passado sofreu com a tempestade histórica, a média de chuva no mês pode variar entre 300 mm a 500 mm.
O Cemaden informou que em Bertioga o volume de chuva foi ainda mais alto nos últimos 29 dias: 640 mm.

Previsão do Tempo

Nesta terça-feira, faz calor no Litoral Norte com variação de temperatura entre 23 e 31 graus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *