Marcello Veríssimo

Em 6 de fevereiro de 1945 nascia em Nine Mile, na Jamaica, Robert Nesta Marley, ou Bob Marley, que morreu precocemente em 11 de maio de 1981, vítima de câncer, em um hospital de Miami nos Estados Unidos. No seu aniversário de 79 anos, o legado de sua obra permanece vivo por gerações e é celebrado com o filme “Bob Marley: One Love”, que estreia no Brasil nos próximos dias, aprovado pela crítica e após rodar por vários países do mundo em premières reunindo ícones da música, do reggae e do showbiz internacional.

Com um perfil oficial que acumula mais de 8 milhões de seguidores, além de uma série de outras páginas de fãs e do filme, Marley continua sua história e neste ano volta ao topo do mundo.

Em várias capitais brasileiras, uma série de eventos também celebram a memória de um dos maiores artistas do século XX.

Florianópolis, em Santa Catarina, recebe no próximo dia 18 o espetáculo “Marley In Camerata”, no Teatro Ademir Rosa, a partir das 20h30. Em única apresentação, o espetáculo vai homenagear o rei do reggae com um espetáculo repleto de clássicos.

O Carnaval de Salvador recebe a estreia do bloco Pipoca do Reggae que pela primeira vez vai desfilar no Carnaval neste sábado (10), saindo do Circuito Osmar (Campo Grande), a partir das 21h.

As principais salas de cinema na capital paulista também já confirmam a estreia da cinebiografia do artista para o próximo dia 15.

Acústico

Para celebrar os 79 anos de Marley, a reportagem foi até o casal de produtores musicais Akin Assad e Kayla Makena, em Caraguatatuba.

Em parceria com o músico Michael Douglas, também de Caraguá, os músicos receberam a reportagem no último sábado (3) para um pocket show exclusivo, que você confere no vídeo.

Kayla conta que, desde a última vez que falou com o JDL, sua conexão com o reggae evoluiu e atualmente está trabalhando em um projeto de músicas autorais, além do KMT Sounds, onde se apresenta ao lado de uma DJ. “O Reggae foi um mundo completamente novo, mas com o passar do tempo eu peguei gosto. Quando soube que Bob é de 6 de fevereiro também achei massa”.

Assim como Kayla, Michael Douglas, ou para os íntimos MD Energia, que toca pela noite da região, disse que o músico jamaicano sempre esteve entre suas principais referências. Um dos integrantes da banda Energia Viva, também com músicas autorais, ele disse que seu trabalho é um misto com referências também no rock, no pop e no hip-hop. “A gente faz uma mistura com essas vertentes, tocar na noite a gente vai do Charlie Brown ao Alceu Valença”, disse ele. “Mas o Bob sempre esteve nas minhas referências musicais no meu processo como compositor e como artista”.

By srneto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *