Marcello Veríssimo

“Uma lição de vida”. Assim, os moradores de Ilhabela definiram a sensação que é estar participando da missão humanitária pelo resgate das vítimas na tragédia do Rio Grande do Sul. Há mais de uma semana percorrendo a região, por enquanto, segundo eles, ainda não tem previsão de voltar.

Os moradores da ilha se juntaram aos voluntários de Atibaia, que seguiram para o estado a cerca de uma semana. “Não tem explicação, a gente tem a dimensão de como somos insignificantes frente a natureza”, disse o morador da ilha, Nilson Almeida, que falou ao JDL.

Almeida tem postado no seu perfil do Instagram um pouco do que vê in loco, mas com um olhar humanizado, sem a técnica jornalística ou edição. “Algumas cenas são bem marcantes”, disse ele.

E de fato são. Na noite deste domingo (12), a chuva ainda castigava as cidades do estado por conta das chuvas deste fim de semana, principalmente no centro-norte e leste do estado, incluindo o litoral norte e o sul de Santa Catarina.

O aeroporto internacional Salgado Filho, na capital Porto Alegre também está debaixo d’ água. O repórter Pedro Vedova, do Fantástico, entrou no aeroporto, que também foi alvo de operação da Polícia Federal para retirada de armas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *