Marcello Veríssimo

No fim do arco-íris se encontra o pote de ouro. Esse antigo clichê da ficção pode ser colocado em prática pelos turistas que visitam Ilhabela e seguem pela avenida Governador Mário Covas, no sentido sul do arquipélago, até encontrar o restaurante Nova Iorqui, no número 18322, no bairro Frades.

Literalmente onde termina o asfalto e se tem a impressão de chegar ao fim da ilha, o estabelecimento se destaca pelo luxo em meio a natureza. Para chegar lá, basta sair da balsa e seguir no sentido sul da ilha.

Construído em meio a uma área útil de 12 mil metros quadrados, o restaurante Nova Iorqui, adaptou o nome da metrópole americano para a ilha mais charmosa de São Paulo resultando em uma combinação perfeita e na realização de um sonho do empresário santista, Arthur Júnior, o Tuca, 62, que há mais de 30 anos escolheu Ilhabela para morar.

Era 1999 quando tudo começou e a história do empresário santista com alma de caiçara mudou. “Foi a realização de um sonho, conheci esse local quando era jovem e ficou embutido na minha cabeça”, explicou Tuca.

E de fato desde a chegada pela avenida Mário Covas, na porta do restaurante, onde os clientes são recebidos por uma réplica da estátua da Liberdade não tem como não ser “abduzido” para a realidade “nova iorquina” do mundo de Tuca. “Quando nós viemos para a ilha, a ideia era montar uma pousada para deixar pro meu filho no futuro”, ele conta. O sucesso foi tanto que Tuca lembra de ter atendido em dias de alta temporada 2.700 pessoas.

De lá para cá, após muito trabalho, Tuca conta que o projeto fluiu naturalmente começando como um bar até chegar no formato atual, que inclui uma casa de hospedagem e uma espécie de beach clube de praia na costeira.

Paraíso

Quando chega-se em Nova Iorqui, além de comer no restaurante, a impressão que se tem é de deixar o mundo lá fora e entrar em um universo à parte, onde o maior patrimônio é a paz. Descendo por cerca de 700 metros, o cliente chega até a casa de hospedagem, a Casa de Tuca. “Hoje o restaurante está arrendado para a Cris, que toca a parte de cima, meu filho toca o bar da costeira, e nós tocamos a Casa de Hospedagem”, ele explica.

A reportagem do JDL foi conhecer a Casa de Hospedagem no último sábado (11). Trata-se de um recanto repleto de conforto e paz para quem busca dias de descanso em meio a natureza da ilha, sem sinal de celular e internet 5g, a única conexão é por meio do wi-fi. A maior conexão é com a natureza e a vista que se tem sem nenhum sinal do continente.

São 4 suítes amplas, com vista para o mar e espaço para toda a família. As reservas podem ser feitas pelas plataformas Booking, Airbnb e diretamente com a hospedagem por meio do telefone.

Para saber mais basta seguir os perfis no Instagram @novaiorqui e @casadetucailhabela

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *