Marcello Veríssimo

A Polícia Civil, em Caraguatatuba, prendeu nesta quarta-feira (15) o ex-namorado da transexual Bruna Andrade, 39, que foi assassinada em janeiro deste ano. As investigações foram realizadas pelo 1 Distrito Policial do bairro Porto Novo, na região sul do município, sob a coordenação do delegado Rodolfo Augusto.

Bruna foi encontrada morta na manhã do dia 12 de janeiro por moradores que chamaram a Polícia Militar. O ex-namorado confessou o crime.

De acordo com a polícia, Bruna foi encontrada morta em uma calçada na Alameda Francisco de Assis Rosa Silva com ferimentos na face com sinais de violência no rosto e nos dentes.

A investigação começou logo depois do crime com o objetivo de descobrir os assassinos de Bruna. Durante as investigações, a polícia ouviu testemunhas, analisou imagens e realizou a perícia no local do crime e no corpo.

De acordo com a polícia, em um primeiro momento, o ex-namorado negou em depoimento que tivesse envolvimento no crime e que Bruna poderia ter inimigos em Caraguá e também em Taubaté, no Vale do Paraíba.

O criminoso, que não teve sua identidade divulgada, também disse à polícia que não estranhou o sumiço de Bruna na manhã do crime. O homem disse que os dois tinham um relacionamento aberto e que, por isso, não sentiu a falta de Bruna quando ela não retornou para casa.

A Justiça decretou a prisão na semana passada após a polícia pedir a quebra do sigilo telefônico do homem e descobrir novas provas contra ele flagradas em conversas por aplicativo de mensagens.

A polícia descobriu que, na verdade, o homem tentava esconder o relacionamento com a transsexual, pois mantinha uma ex-mulher em Ubatuba com a qual tem uma filha pequena.

Além disso, ele disse ao delegado que Bruna não queria terminar o relacionamento, além de querer dinheiro e o também ameaçar de morte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *