Marcello Veríssimo

Um homem que age com extrema vilania. Assim o delegado responsável pelo assassinato da jovem Rafaela Ramos da Silva, 16, em Caraguatatuba definiu o perfil do algoz da garota: seu namorado.

O homem, 25, teve a prisão preventiva decretada nesta quinta-feira (16). Ele já cumpre pena em regime semiaberto sendo egresso no sistema prisional desde fevereiro de 2022, condenado a sete anos, dois meses e 20 dias de prisão pelo crime de roubo.

De acordo com a Prodesp (Processamento de Dados do Estado de São Paulo), o criminoso tem uma ficha extensa.

De acordo com a polícia, o namorado possui um registro de
subtração de incapaz contra Rafaela, que é o ato de retirar ou desviar bens, direitos ou recursos de uma pessoa que não possui capacidade legal para administrar seus próprios interesses.

O delegado disse, no boletim de ocorrência, que o criminoso age com “extrema vilania e ousadia, crença na impunidade, já que solto retorna ao submundo do crime”.

Pelo feminicídio, mesmo fora do tempo de flagrante, ele adiciona a sua capivara os crimes de ocultação de cadáver e porte de drogas para consumo pessoal.

De acordo com a polícia, por
representar perigo à sociedade, o homem ficou preso.

Rafaela teria sido assassinada na madrugada da última terça-feira (14) após discutir com o namorado. Ele teria estrangulado e asfixiado a jovem
com um travesseiro, e enterrou o corpo no dia seguinte.

Para a polícia, ele disse que estava sendo traído.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *