Marcello Veríssimo

A Polícia Ambiental divulgou na manhã desta terça-feira (3) o balanço anual de ocorrências, da
5ª Companhia de Polícia Militar Ambiental Marítima do 3° BPAmb, que possui sede no Guarujá, na Baixada Santista, mas que tem um pelotão em Ubatuba. A PAM cobre todo o litoral desde a divisa do Paraná até a divisa com o Rio de Janeiro.

De acordo com o balanço, 2022 contabilizou mais de 1300 ocorrências entre Boletins de Ocorrência e Termos de Vistoria, entre diferentes naturezas sejam ambientais, criminais, apoios, resgates, solturas de animais marinhos, entre outros.

Foram apreendidas 257 redes de pesca ilegais, totalizando quase 60 quilômetros de rede, além de 1120 petrechos de pesca e 119 embarcações pesqueiras. A polícia informou também que foram apreendidas mais de 82 toneladas de pescado oriundos da pesca ilegal e predatória.

De acordo com a polícia, 25 toneladas são de camarão, 55 toneladas são peixes diversos e o restante são outros crustáceos, moluscos. Uma boa notícia é que em praticamente todas as redes de pesca recolhidas, foram realizadas solturas de espécies marinhas emalhadas, ainda com vida. “Peixes, inclusive vários tubarão-martelo, crustáceos, moluscos, equinodermos, muitas raias, tartarugas, etc, corroborando para a preservação do Meio Ambiente Marinho, em prol da coletividade”.

Todo o pescado apreendido foi doado a dezenas de instituições filantrópicas e os respectivos Fundos Sociais de Solidariedade dos municípios de todo o litoral paulista, cumprindo assim o papel social da Instituição Polícia Militar do Estado de São Paulo e beneficiando milhares de famílias carentes e em situação de vulnerabilidade.

Habitat Natural – De acordo com o balanço da Polícia Ambiental, durante o ano de 2022, também foram devolvidos ao seu habitat, aproximadamente 5.000 caranguejos e siris, provenientes da captura e comércio ilegal.

Outras ocorrências ainda incluem resgate de pessoas em embarcações a deriva e em situações de risco, captura de procurados pela justiça, apreensões de drogas e armas, além da localização de embarcações e motores roubados e outros ilícitos penais.

Para se ter uma ideia, foram mais de 4.500 pessoas abordadas em 2022, sendo 2.000 pescadores, a bordo de 1.014 embarcações abordadas. Neste caso, a fiscalização resultou em 275 autuados e 323 Autos de Infração Ambiental emitidos.

De acordo com o balanço ainda foram fiscalizados 1.237 comércios de pescados e 230 veículos de transporte de pescado foram inspecionados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *